Óleo do nosso cotidiano

August 20, 2020

Descubra mais sobre os malefícios desse componente presente no nosso dia-a-dia e conheça mais sobre ele. 

Tempo de leitura: 3 minutos

Conteúdo do texto: 

  • Introdução 

  • Tipos de óleo

  • Composição do óleo

  • Malefícios do óleo 

  • Reciclagem do óleo usado

  • Como a QuímEJ pode ajudar

Seja na coxinha, no bife do almoço, na batata e hambúrguer do fast food, todos esses alimentos que nos dão água na boca são frituras, portanto, estão cheio de óleos. Mesmo que deliciosos e muitas das vezes melhores que alimentos saudáveis, o seu consumo excessivo durante os anos pode agregar diversos problemas prejudiciais a saúde. 

 

Desse modo, doenças cardiovasculares, má crescimento, aumento da pressão arterial e até diminuição da fertilidade, são só alguns dos muitos exemplos que pode ocorrer ao corpo humano com o efeito dessa ingestão.

 

Tipos de óleo

 

O que algumas pessoas não sabem é que a produção de óleo tem origem variada, podendo partir dos mais diversos produtos. Assim, é de costume que sua formação sempre parta de algum elemento primário natural. Desse modo, a escolha deste influencia nos gastos a ser produzido até como afetará a vida de quem o consome.

 

Algum desses são:

  • Óleo de uva - Rico em vitamina E, benéfico para tratamentos corporais, como reduzir estrias, celulite e hidratar a pele. 

  • Óleo de abóbora - Rico em carotenoides, triptofano, e magnésio. Sendo assim benéfico para o sistema imunológico (não pode ser utilizado para frituras).

  • Óleo de oliva - Rico em ácidos graxos monoinsaturados, ou seja, tem antioxidantes que impedem a oxidação do colesterol e o acúmulo de placas de gorduras nos vasos sanguíneos (não pode ser usado para frituras, apenas para pratos quentes).

  • Óleo de girassol - Rico em vitamina E, que ajuda a prevenir doenças como asma, artrite reumatoide e câncer de cólon. Contudo, é recomendável optar por uma mais saudável, já que este também pode elevar os níveis de pressão arterial, causando distúrbios renais e outras complicações graves, como obesidade. 

     

Composição do óleo 

 

Um experimento muito comum e feito por praticamente todos, é a mistura do óleo com a água. É de cunho público que ambos não se misturam, formando fases diferentes no recipiente em que são postos. Essas misturas heterogêneas são chamadas líquidos imiscíveis, ou seja, misturas que apresentam duas ou mais fases, em que os componentes da mistura são perceptíveis. 

 

Entretanto, qual é a resposta para essa divisão? É simples e envolve polaridade. 

Quando aprendemos sobre polaridade, temos como primeira informação sobre a água, já que esta é um solvente universal (o que significa que uma grande quantidade de substâncias podem ser dissolvidas nela) e sabemos que ela é polar. E o óleo é apolar, logo, é difícil a sua junção.

 

Por analogia, os óleos são os classificados como materiais graxos de origem vegetal ou animal. Eles pertencem ao grupo dos lipídios (gorduras), que são definidos quimicamente como compostos orgânicos que reagem com a água, sendo hidrofóbicos (fobia a água, impossibilitando a sua dissolução).

 

No caso específico dos óleos e das gorduras, eles são lipídios formados pela união de três moléculas de ácidos graxos e uma molécula da glicerina (glicerol). 

 

Malefícios do óleo

 

Como dito anteriormente, esse componente apesar de ser muito querido no preparo dos alimentos, ele é realmente prejudicial a nossa saúde e meio ambiente, por conta principalmente de seu descarte. 

 

Ao corpo humano: 

 

Além de ser o principal causador do excesso de peso, este consumo traz complicações como: 

  • aumento do colesterol ruim;

  • infarto;

  • diabetes;

  • hipertensão;

  • gordura no fígado;

  • arteriosclerose (Acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias e dentro delas).

Contudo, vale ressaltar que esse consumo não pode ser cortado totalmente sem o acompanhamento médico. Mas pode ser controlado ao optar por alimentos assados e com menos gordura.

 

Ao meio ambiente: 

 

Não é nenhuma novidade que o óleo está presente na maioria dos lares e tem diferentes utilidades, no entanto, o descarte geralmente é o mesmo: o ralo da pia. Entretanto, o que não é novo, é que os óleos vegetais são grandes causadores de desastres ao meio ambiente e ao seu bolso quando descartados de maneira inadequada.           

 

Assim, o descarte incorreto prejudica o meio ambiente e principalmente os rios; de acordo com Francielly Moreira, supervisora do Laboratório de Afluentes da Saneatins, um litro de óleo é suficiente para contaminar cerca de 20 litros de água.

 

Ao jogar o óleo pelo ralo ele forma uma espécie de blindagem porque é menos denso que a água, e isso acaba dificultando as trocas gasosas entre a atmosfera e a água. Esse tipo de poluição pode acarretar um desequilíbrio ecológico ameaçando diversas espécies.

 

Esta blindagem que o óleo forma também pode entupir a caixa de gordura e danificar os encanamentos da sua casa e/ou empresa.

 

Reciclagem

 

Com base nesse texto aprendemos quão ruim o óleo é para o corpo e ao meio ambiente, mas também foi evidenciado como evitar esse consumo é o melhor. Agora nos resta a dúvida, como descartar corretamente? 

 

Atualmente, a melhor opção é recolher este líquido e o colocar em uma garrafa pet, assim destinando a locais que o reciclam. Ainda há mercados que utilizam desse para fazer uma troca solidária, ou seja, você leva 2 litros de óleo sujo e ganha um 1 litro limpo em troca. Esse ato é benéfico tanto ao meio ambiente quanto ao bolso do consumidor. 

 

Ademais, tem se a opção de produção de sabão caseiro, que quimicamente falando se trata da reação de saponificação. A base (soda cáustica) reage com os triglicerídeos (triésteres) que formam os óleos e, como produtos, os glicerol (glicerina) e sais de ácidos graxos que são as moléculas responsáveis pela limpeza. 

 

Como a QuímEJ pode ajudar

 

Com base em todo esse texto, os convidamos a conhecer mais sobre a QuímEJ e sobre o que fazemos. Resumidamente, lidamos com análises dos mais diversos tipos, como de água por exemplo. Contudo não nos restringimos apenas a isso. 

 

Como uma empresa júnior, buscamos sempre crescer e nos desenvolver, para que assim acrescentemos mais para a sociedade ao nosso redor. Nesse intuito, auxiliamos também na organização documental de sua empresa, com a criação de POP's e adequação a ANVISA e normas necessárias para que seu negócio esteja de acordo e rumo ao sucesso. 

 

Restou alguma dúvida ou ficou interessado? Marque já a sua consultoria, entre contato e vamos fazer o possível para te ajudar nessa jornada empresarial!!

 

Fontes: Gauchazh Vida; Nutrição Funcional;  Alunos online; Europa; PartMed;  Brasil escola,     

Please reload

Recent Posts
Please reload

Join My Mailing List
ENDEREÇO

Av. João Naves de Ávila, 2121

Bloco 5I - Piso Inferior

Universidade Federal de Uberlândia

Uberlândia-MG

​​

TELEFONE

Tel: (34) 98879-9676

E-MAIL
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now